• Implante de Polimetilmetacrilato
  • Bioplastia com PMMA

Implante injetável biologicamente inerte
de longa duração

Registro no Ministério da Saúde – ANVISA Sob nº 80256510006

O primeiro implante injetável contendo microesferas de polimetilmetacrilato (PMMA) foi desenvolvido na Alemanha há mais de 20 anos. Os contínuos estudos e aprimoramentos resultaram na terceira e atual geração de implantes com o Linnea Safe. A primeira geração iniciada na Alemanha na década de 90 mostrou-se eficaz, embora provocasse algumas reações adversas [1-2]. A maioria dessas reações eram causadas por nódulos nos locais de injeção, ocasionalmente associados à resposta inflamatória. Investigações posteriores levaram à conclusão de que existe um limite específico do diâmetro das microesferas de PMMA, que é fundamental para evitar reações adversas. As investigações e literaturas cientificas publicadas a partir destes estudos sugerem que as microesferas de PMMA, inferiores a 20 µ de diâmetro, podem desencadear uma reação de corpo estranho [3].

Linnea Safe incorporou as lições aprendidas durante essas duas décadas e, utilizando-se da tecnologia UMSS*, obteve com precisão um diâmetro médio ideal de 40 µ (micra) para as suas microesferas.

Microesferas de polimetilmetacrilato com Tecnologia própria UMSS* e exatos 40µ (micra) de diâmetro

Linnea Safe 30%. Em caixa contendo 10 seringas de 3ml

[1] Lemperle G, De Fazio S, Nicolau P (2006) ArteFill – a third generation dermal filler and tissue stimulator. Clin Plast Surg 33(4):551-565.
[2] Lemperle G, Rullan PP, Gauthier-Hazan N (2006) Avoiding and treating dermal filler complications. Plast Reconstr Surg 118(3 Suppl):92S-107S.
[3] Lemperle G, Gauthier-Hazan N, Wolters M, Eisemann-Klein M, Zimmermann U, Duffy DM (2009) Foreign body granulomas after all injectable dermal fillers. Part 1: possible causes. Plast Reconstr Surg 123:1842-1863